Cirurgia plástica, transplante capilar, estética.

            Muitas pessoas, entre mulheres e homens, têm a fronte (testa) muito alta, deixando um aspecto de desproporção nessa região da face. A Cirurgia de Redução da Testa tem como finalidade principal a diminuição desta desproporção da testa em relação à face, trazendo a linha capilar mais para a frente.

Existem duas maneiras de atingir este objetivo: a primeira consiste em intervenção cirúrgica através de uma incisão ao longo de toda a linha capilar, descolando os tecidos moles da testa e retirando os excessos de pele e tecidos subcutâneos para conseguir a maior retirada possível e obter o melhor resultado estético. A cicatriz resultante será na linha do cabelo e, apesar de feita dentro da melhor técnica possível, resultam mais ou menos aparentes de acordo com a reação cicatricial que varia de indivíduo para indivíduo.

A segunda maneira de reduzir a testa é através do transplante capilar folicular (fio-a-fio, FUT ou FUE), que consiste na retirada dos cabelos da região da nuca onde existe cabelo em maior quantidade e com melhor qualidade, transplantando-os para as regiões a serem tratadas. A quantidade dependerá de uma avaliação pessoal.

Temos também que, em casos mais extensos, fazer a associação das duas técnicas, realizando primeiro a redução da testa e após três meses o paciente já pode se submeter ao transplante capilar. Este intervalo é necessário pois a pele é descolada na cirurgia de redução da testa e é imprescindível esperar que a região cicatrize e se fixe novamente antes de realizar o Transplante Capilar, caso contrário os fios não se fixarão e não crescerão por estar com a pele da testa descolada. Quando fazemos ambos os procedimentos temos o melhor resultado, pois com o transplante a cicatriz da linha do cabelo ficara disfarçada por entre as áreas transplantadas.

 

Perguntas e Dúvidas

 

1- Qual é o tipo de anestesia e o tempo de internação?

R: A cirurgia de redução da testa dura em torno de 90 minutos e a internação é de 12 a 24 horas. Ambas as técnicas são realizadas com anestesia local e sedação. Já o transplante de cabelo dura de 4 a 6 horas, a internação é de 12 horas, também com anestesia local e sedação.

 

2- Quanto tempo para voltar às atividades normais?

R: Na redução da testa pode haver inchaço e equimoses (roxos), podem acontecer, mas são fáceis de disfarçar com bonés, faixas ou lenços. Quanto não há equimoses a recuperação é em torno de uma semana.

No transplante capilar a região transplantada fica com pequenas crostas com pequenos cabelos que cairão em até 15 dias após o procedimento, durante esta etapa é possível disfarça-los com o uso de bonés ou lenços. Após três meses os cabelos voltam a crescer na região transplantada de maneira normal e constante.

Retorno precoce às atividades normais gira em torno de 10 dias, podendo haver ainda alguns roxos ou inchaços mais aparentes até 15 dias.

 

3- Qual é a expectativa com relação à dor?

R: É muito rara a referencia a dor, mas existe um incômodo local que quando acontece é facilmente resolvido com analgésicos normais.

 

4- Quais as complicações que podem ocorrer?

R: Podem acontecer, nesta como em qualquer outra cirurgia, hematomas, cicatrizes mais ou menos aparentes, mas a ocorrência de infecções na região da face é extremamente rara. Como em todas as cirurgias plásticas, alguma assimetria pode ocorrer, ainda que raramente.

 

5- Existem pontos a serem retirados?

R: Sim, serão retirados em torno de 10 a 15 dias.

 

 

Considerações Finais

 

Uma boa avaliação e esclarecimentos entre médico e paciente são muito importantes para a realização de qualquer procedimento cirúrgico.

Para submeter-se à qualquer um dos procedimentos possíveis para a Redução da Testa você deverá realizar os exames pré-operatórios para avaliar as suas condições físicas e seguir às orientações do seu cirurgião quanto aos procedimentos pré e pós-operatórios, para ter segurança de um melhor resultado.

Qualquer processo cirúrgico tem seus riscos, em geral estes são: irritação da região operada; infecções são possíveis apesar de todos os cuidados, mas são extremamente raras; sempre existem cicatrizes em todos os locais onde foram feitas as incisões e alguma assimetria pode acontecer, o resultado das cicatrizes, apesar de feitas dentro da melhor técnica possível, depende muito mais do processo cicatricial de cada indivíduo e do seguimento correto das recomendações pós-cirúrgicas de seu médico.