Cirurgia plástica, transplante capilar, estética.

O principal objetivo desta cirurgia plástica é o rejuvenescimento da face com resultados naturais. É feita a remoção dos excessos de pele, corrigindo a flacidez local e tecido muscular da região, processo que ocorre naturalmente para todos com o passar tempo.

A idade indicada para esta intervenção varia, já que muitos fatores influenciam para o envelhecimento da pele da face: genética e fatores ambientais como o excesso de sol, acne, tabagismo, entre outros que contribuem para a aceleração ou retardo do processo. A ritidoplastia ou lifting facial passa a ser recomendada quando há flacidez.

O resultado final desta cirurgia depende da conversa franca e alinhamento com o seu médico cirurgião plástico, já que pessoas diferentes desejam resultados diversos. Atendemos às expectativas tanto das pessoas que querem um resultado mais jovial e exótico, com o levantamento dos olhos (Fox Eyes), quanto das mais discretas, que desejam pouca intervenção cirúrgica, um rejuvenescimento mais natural.

A ritidoplastia tem um tempo de recuperação médio, cerca de 15 dias, quando o(a) paciente já consegue retornar às atividades normais (sem esforço físico desnecessário). A maioria dos(as) pacientes não relata dor durante o período pós-operatório, mas sim um certo desconforto devido ao maior inchaço que tende a ocorrer nos primeiros dias. Existe um inchaço residual que vai demorar mais tempo para desaparecer completamente, mas costuma ser pouco perceptível.

Linha tênue: Preenchimento x Lifting Facial – nos últimos anos a utilização de preenchimentos faciais absorvíveis (ácido hialurônico) foi muito difundida e tornou-se mais acessível. Mesmo sendo um tratamento pouco invasivo e muito eficiente para a atenuação de rugas, depressões e vincos na face, ele se torna ineficiente quando o problema é a flacidez. Insistir em corrigir a flacidez com preenchimentos, principalmente os não absorvíveis, como PMMA e silicone líquido, pode produzir resultados desastrosos, com aparência já conhecida: rostos inchados e muito artificiais.

 


 

Mais informações sobre a Ritidoplastia

O Lifting Facial, ou Ritidoplastia , é indicado para pacientes homens ou mulheres que apresentam flacidez na face e que não são mais possíveis remover com outros tratamentos com preenchimentos ou peelings entre outros que ajudam na manutenção de um rosto mais jovial. Por mais eficientes que estes tratamentos sejam, quando a flacidez se instala, somente a cirurgia de face, com levantamento da pele, tecidos subcutâneos e musculatura facial, proporcionarão um tratamento eficaz, recuperando o aspecto mais jovial da face.

A cirurgia é feita através de incisões em torno das orelhas, na frente e por traz, podendo se prolongar para dentro do couro cabeludo, sua extensão depende da flacidez e da quantidade de pele a ser retirada. Após as incisões, é feito um descolamento de toda a região a ser tratada, então a musculatura é reposicionada usando pontos para fixar, em seguida são removidos os excessos de pele e tecidos subcutâneos e por último é feita a sutura dos tecidos subcutâneos e da pele. Algumas vezes são feitas pequenas lipoaspirações principalmente na região do mento (queixo) para complementar o tratamento.

Havendo recomendação, a Blefaroplastia (cirurgia das pálpebras), pode ser associada ao procedimento.

Não existe uma idade certa para realizar a Ritidoplastia depende da necessidade de cada indivíduo.

 

Perguntas Frequentes

1- Qual a diferença entre o Lifting e o Mini-Lifting?

R: O Lifting e o Mini-Lifting têm o mesmo objetivo, o de suavizar a flacidez da face. A diferença está na extensão das cirurgias, pois no mini-lifting tratamos apenas da porção superior ou inferior da face, já o Lifting é uma cirurgia que trata a face completa, incluindo o pescoço quando há indicação. A recomendação ideal para cada paciente requer avaliação por seu médico cirurgião.

2 – Existe a possibilidade de ficar com a Face excessivamente “puxada”?

R: Nas cirurgias de face, atualmente, há um grande cuidado por parte do cirurgião para se conseguir o melhor resultado possível conservando uma face natural, sem a evidência de uma cirurgia exagerada. Resultados mais exóticos também são possíveis, porém somente quando este é o desejo do(a) paciente.

3 – Qual é o tipo de anestesia e tempo de internação?

R: A cirurgia de face pode ser realizada com anestesia local associada à sedação com acompanhamento do anestesista durante todo o procedimento. O tempo de internação é de 12 a 24 horas.

4 – Como é o pós-operatório e retorno às atividades normais?

R: No pós-operatório imediato o paciente estará com um dreno na parte posterior do couro cabeludo e uma bandagem ao redor da cabeça. O dreno será retirado em 24 horas e a bandagem em 48 horas, nesta ocasião nossa enfermeira fará a primeira lavagem e higienização da cabeça. Em torno de 15 a 20 dias o paciente pode retornar as suas atividades normais, porém sem esforço físico desnecessário.

5 – Quanto tempo para o retorno às atividades físicas?

R: Após 20 dias, o paciente poderá retornar a fazer exercícios moderados, como caminhadas, bicicleta, etc., retornando à carga normal gradativamente.

6 – Como é o pós-operatório com relação ao inchaço e partes roxas (equimoses) no local da operação?

R: O inchaço é mais intenso durante os cinco primeiros dias após a operação, diminuindo bastante até o décimo dia após o procedimento. Porém, sempre existe um inchaço residual, que praticamente só a paciente ou pessoas muito próximas conseguem perceber, este pode perdurar por até 6 meses até que amoleçam todos os tecidos, reduzindo gradativamente durante este período, é mais perceptível ao toque endurecido do que visualmente. As equimoses (roxos) podem ocorrer em menor ou maior intensidade, mas em torno de 10 a 15 dias estão praticamente imperceptíveis.

7 – Qual é a expectativa em relação à dor?

R: A dor é incomum no Lifting Facial, e quando existe, analgésicos comuns são suficientes para aliviar.

8 – Existem pontos a serem retirados? Se sim, em quanto tempo?

R: Alguns pontos são internos e absorvíveis, mas existirão sim pontos a serem retirados entre 5 e 15 dias após o procedimento.

 

9 – Quanto a complicações, o que pode ocorrer após o Lifting?

R: As complicações são muito raras e em geral quando ocorrem são de fácil solução como hematomas, edemas (inchaços) mais persistentes e dificuldade de cicatrização, mais comum em fumantes.

10 – Ficarei com cicatrizes aparentes?

R: Todo processo cirúrgico resulta em cicatrizes. O cirurgião plástico experiente sempre utiliza a melhor técnica possível, mas o resultado melhor ou pior depende também da reação cicatricial de cada indivíduo. De qualquer forma as cicatrizes são feitas em dobras e pregas naturais da face, tornando-as o mais imperceptível possível. A face é o local do corpo com a melhor qualidade de cicatrização.

11 – A Blefaroplastia, cirurgia de pálpebras, faz parte do lifting facial?

R: A Blefaroplastia é outra cirurgia, mas que é comumente associada ao lifting facial para chegar ao resultado ideal.

12 – O Lifting Facial resulta no desaparecimento de todas as rugas da face?

R: O lifting tem por objetivo corrigir a flacidez e vincos da face. As rugas mais profundas só conseguem tratamento através de procedimentos como peelings e preenchimentos diversos.

Considerações Finais

Uma boa avaliação e esclarecimentos entre médico e paciente são muito importantes para a realização de qualquer procedimento cirúrgico.

Para submeter-se ao Lifting Facial você será orientado a fazer os exames pré operatórios, para avaliar as suas condições físicas, e a seguir a orientação de seu cirurgião quanto aos cuidados pré e pós-operatórios, que em muito contribuirão para um bom resultado.

Qualquer processo cirúrgico tem seus riscos, em geral estes são: irritação da região operada; infecções são extremamente raras, porém possíveis apesar de todos os cuidados; sempre existirão cicatrizes em todos os locais onde foram feitas as incisões e alguma assimetria pode acontecer, o resultado final das cicatrizes, mesmo que as suturas sejam feitas dentro da melhor técnica possível, depende muito mais do processo cicatricial de cada indivíduo e do seguimento correto das recomendações pós-cirúrgicas de seu médico.